Skip to content

Saúde bucal da mulher durante a gravidez

Cuidar da saúde bucal é fundamental em todas as etapas da vida, proporcionando uma rotina mais saudável em diversos sentidos. Contudo, em algumas situações específicas, como na gravidez, os cuidados com a saúde bucal da mulher devem ser reforçados. 

Neste artigo, explicaremos o por que é necessário redobrar a atenção com os cuidados bucais durante a gravidez, apresentando os riscos, as doenças que podem se intensificar na gravidez caso as mulheres não prestem atenção nisso e muito mais. Confira!

Por que reforçar?

Primeiramente, é importante destacar que os cuidados com a saúde bucal devem ser diários. Diversas práticas simples, como realizar a escovação ao menos três vezes ao dia, utilizar fio dental e ter consultas regulares com dentistas, devem ser estimulados.

Durante a gravidez, as alterações hormonais constantes podem mudar o comportamento do corpo de modo geral, inclusive na boca. 

Com isso, a mulher se torna mais suscetível a ter doenças bucais, como a gengivite. Posteriormente falaremos mais sobre isso.

Além disso, existe a preocupação de prejudicar a saúde da criança que está na barriga, dificultando a gestação.

Dessa forma, redobrar os cuidados durante os 9 meses de gravidez é fundamental para evitar que novos problemas surjam e que a saúde do filho seja danificada.

Problemas recorrentes

A gengivite, por exemplo, é uma doença bastante incômoda, que gera dor constante na boca e pode causar sangramento durante a escovação. 

Mesmo antes da gravidez, a gengivite já é um problema incômodo, entretanto, durante a gestação o sangramento pode ser aumentado, justamente pelas mudanças hormonais constantes.

Outro problema que pode surgir com maior facilidade durante a gravidez é o aparecimento de cáries.

Cáries são bactérias que se instalam nos dentes causando danos, gerando dor e mudando a coloração.

Mais uma vez, as alterações hormonais são responsáveis pelo fortalecimento da placa bacteriana, pois essas modificações dificultam a produção da saliva, que são elementos naturais responsáveis pela limpeza dos dentes, e modificam o pH bucal.

Cuidados alimentares

Além dos cuidados diários com a higienização do dente, língua, gengiva e boca, de modo geral, é muito importante que as mulheres estejam atentas com a alimentação durante esse período.

A questão alimentar vai muito além da saúde bucal, pois existem diversos alimentos que são prejudiciais para o processo de gestação e que costumam ser proibidos pelos médicos nesse tempo. Alguns exemplos são:

  • Bebidas alcoólicas;
  • Frango cru;
  • Ovo cru;
  • Carnes de peixes.

Há ainda outros alimentos, principalmente os que são ricos em açúcares, que são danosos para os dentes, podendo gerar também os problemas que foram mencionados, aumentando a gravidade por conta das mudanças hormonais.

Dessa maneira, durante a gestação, é importante que as mulheres recebam auxílio de nutricionistas para indicar quais alimentos podem ser consumidos e quais podem ser prejudiciais para a sua saúde e a do filho.

Do mesmo modo, a consulta regular ao dentista também se mostra necessária.

Acompanhamento 

Ir ao dentista é parte fundamental durante toda a vida. Muitas situações podem ocorrer durante a infância, adolescência e até a fase adulta, como o surgimento de cáries e danificações aos dentes, sendo necessário alguns tratamentos específicos, como a utilização de aparelho ortodôntico.

Aparelhos dentários costumam ser tratamentos eficazes em diversas situações, sendo um dos principais métodos para tratar problemas de estrutura nos dentes, separação, oclusão, dentre outros fatores.

Para isso, existem diferentes tipos de aparelhos, cada um sendo recomendado para situações e tratamentos específicos.

Os aparelhos fixos, por exemplo, são mais intensos, só podendo ser retirados com a ajuda dos dentistas. 

Já o aparelho móvel é mais flexível, podendo ser retirado em algumas situações, como antes das refeições. Além disso, o incômodo na boca com a utilização de aparelho móvel é menor, justamente pela facilidade de retirada e o local em que eles são posicionados. 

Na gestação, no entanto, alguns cuidados precisam ser ampliados e alguns tratamentos reavaliados. Os procedimentos estéticos, por exemplo, não são indicados em alguns períodos da gestação.

No caso do aparelho, não há problema na sua continuidade. Mas é preciso que a higienização seja feita de forma mais cautelosa, devido a sensibilidade e mudança da mucosa oral.

Existem ainda outros tratamentos que podem ser recomendados em caso de danificação na estrutura dos dentes, como o uso de lente de contato dental, que auxilia na recuperação da estrutura, inclusive, em apenas um dente ou mais.

Por conta dos problemas que foram mencionados anteriormente, o acompanhamento odontológico das gestantes é ainda mais importante. 

O dentista pode orientar alimentos que são prejudiciais, técnicas que podem diminuir o incômodo na boca, como melhorar a higiene bucal, entre outros aspectos, verificando a real necessidade dos tratamentos e se é melhor aguardar o parto para fazê-los.

Além disso, os dentistas podem executar procedimentos diversos para melhorar a saúde bucal das mulheres, como o clareamento dental, deixando os dentes danificados com a coloração original esbranquiçada e brilhante, ou seja, um sorriso de qualidade, se assim for necessário após avaliar a saúde e segurança geral da mulher antes do tratamento.

Esse acompanhamento também é muito importante para evitar problemas mais graves, como a perda dos dentes decorrente da falta de higienização e de tratamentos adequados, bem como inflamações que podem antecipar o parto.

Caso ocorra o amolecimento ou perda da estrutura dental, existem procedimentos que podem ser feitos para substituir os dentes perdidos, como implante dentário

Neste caso, no entanto, é necessário aguardar o parto, realizando o acompanhamento com o dentista para que não haja complicações do quadro.
Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe da Clínica Ideal, plataforma especializada em marketing e gestão para consultórios e clínicas odontológicas.